segunda-feira, novembro 19, 2007

Metalinguaguem


Seria apenas ocasional sentar-me aqui para escrever? Qual seriam a freqüência e a distância de tempo? Analisando estatisticamente, haveria um padrão de repetição, vulgo, um hábito? E, passando para o campo da metafísica, quais seriam os motivos? Questão essa muito mais complicada de se responder. Por envolver uma analise do comportamento e da psique humana, não necessariamente nessa ordem.
Tentarei responder aqui, algumas perguntas e questões referentes à temporalidade, às causas, aos motivos e motivações. Com intuito de desvelar e aprender analisando essa batalha que travamos diariamente. Muitas vezes há dores que causamos a nós mesmos sem saber, sem ter a consciência. Amar é a pior e a melhor delas. Deontologia é um termo muito antigo que foi encontrado recentemente perdido nos alfarrábios da história. Quer dizer “o homem busca o prazer e evita a dor”. Esse enunciado traduz com clareza a essência do que quer dizer. Quer diz também que, usando a metáfora, “os homens... (através do amor) buscam o prazer e evitam a dor”. Qual e como seria essa dor?
Voltando alguns séculos atrás, com certeza ouviríamos algo sobre a eterna busca de Psique por Eros; Afrodite, deusa do amor, tendo lançado-lhe uma maldição... Fazendo da transgressão um pecado, termo que seria usado amplamente pelo mundo ocidental.
A representação do mito de Eros e Psique demonstram que os povos gregos já problematizavam o paradoxo do amor.


Ass.: cultive-a-paz

Nenhum comentário: