terça-feira, julho 10, 2007

Jardim dos Poetas

Jardim dos Poetas _Vincent Van Gogh

Perdi minha identidade. Já faz algum tempo. Não tenho tempo de procurar. Acho que foi em algum buraco, algum bueiro, ou talvez em alguma gaveta desarrumada do inconsciente. Preciso me ver. Olhar o céu, as estrelas. Dormir embaixo da pedra, ouvir os ventos de inverno. Passar o dia perambulando sozinho. Me desintoxicar dos ares da cidade, ver outros coloridos. Me desintoxicar desse bar, desse bairro, das novelas, de você, das conversas sem sentido, dos meios de comunicação, da sensação estúpida de me sentir um rosto branco de papel, uma máscara sem expressão. Como um rosto branco que se apaga no branco de um muro branco.

sexta-feira, julho 06, 2007

Noites Adentros





Para ouvir ao som de
Thelonious Monk & John Coltrane- Functional



Digamos que a Discórdia não foi convidada, mas dispôs a Mildred a sensualidade de uma Vênus de Milo, mesmo que por algumas horas. Me diga então quem eu sou. Mas diga da mais profunda escuridão de sua alma. Comece pelos elogios, deixe as críticas pro final. Deixa a chuva que acaricia nossos corações tão secos. mas parece que só a cerveja molha nossos lábios e só o cigarro sacia nossos pulmões e nossas cabeças.
Ein von die Viel

segunda-feira, julho 02, 2007

Abalada Idiossincrasia

No embalo desse eterno momento
o ciúmes, um afago, um apego,
um beijo
Há cumplicidade entre dois seres
nasce e morre e cresce
o homem
Se o meu corpo falasse
e minha alma fosse algo
além de mim mesmo
restaria apenas
o desejo