domingo, janeiro 06, 2008

Gustave Caillebotte plays

Blue Rondo a la Turkey

Por que minhas reflexões te causam angústia? A dor da separação traz consigo o sentimento de perda, impotência, fracasso. O infortúnio, a miséria, o drama, o golpe. A tristeza, o luto.
Agora vejo com outros olhos a nossa relação. Agora as pessoas me falam de você. Sinto q você sofre timidamente como mulher e não como mãe. Talvez sofra os olhares de repreensão como neta, como sobrinha, como filha, mas não como mãe. Sabia q adotei Iákov como filho? Minha fé é que estava abalada. Eu estava tentando fugir de uma situação que criei para mim mesmo. Esses dias que me trouxeram outros mais, de escrita, de solidão e introspecção, de medo e lamentação. Gritos agudos do papagaio exclamados ao vento de uma tarde fria. Notas esparsas de um quebra-cabeça de melancolia durante o dia. A chuva q cai leve anuncia q a juventude tardia está morta, que resta apenas pesar.
Menina triste. A chuva q cai leve te mostra a certeza de estar perdida. E como dói em mim, pelas entranhas de uma forte ressaca. Ei vem comigo pela praia, pela costa do mar, eternamente.
(Mais um dia esperando outro dia).
.
Ouça
com Tim Maia
Preciso aprender a ser só

3 comentários:

Anônimo disse...

Creio q esse texto é o quase-fim de uma série. Dos suplícios q tenho
passado, e tudo mais por conta de um lugar-comum.

caio disse...

rs. não achei que pareça comigo.

liberté disse...

palavras de espera e cosolo,
AI, VEM, VOLTA ...
sei nao... onda sao ondas ...
praias sao diversao,
no fundo o oceano é mais interessante.
exitem peixes como vc.
volta vc para o mar peixinho.
nao vá morrer nessa praia!!!