quinta-feira, maio 22, 2008

desprendimento, como usar



para ler ao som de my funny valentineHoje é um dia especial para mim. estou vivendo uma dor ambígua, mas cada dia que passa me valorizo mais. escrevo sem maiúsculas, mas estou cheio de músculos, principalmente no cérebro talvez seja isso que me torna duro sem virgulas sem acento. em não acreditar em mim mesmo, mas logo em seguida ver que a vida continua, continua nosso percurso diário em busca do amor em busca do trabalho em busca da felicidade. eu não dependo dos meus pais, eu estou dependente deles nesse momento. voltei para o ninho materno. sou um homem que ajuda a cuidar de uma senhora minha mãe, uma mulher sozinha e um adolescente. tenho recebido muito em troca, mas não é um castigo estar aqui. tocam os sinos. anunciando a vida! basta viver. viver as coisas positivas com equilíbrio e intensidade comedida. a isso dá-se o nome de Força Vital. as minhas estavam abaladas mas não deixei de viver estando entregue à vida. Diante desse teclado escrevo uma nova página. diante dessa página em branco q chamei de vida, de estilo, de estética, de equilíbrio das massas, de inteligência emocional auto controle. afinal, quando não coisas estão muito bem não é necessário ter equilíbrio ele vem naturlich vem por conseqüência, busca-lo requer um outro esquema requer estar bem consigo mesmo de se olhar no espelho dentro dos olhos dentro da alma e enxergar um ser humano completo vivaz alegre em paz. vasculhando as possíveis janelas do futuro aprendi q devo me ocupar do presente e o futuro inevitavelmente virá. dependendo da forma como o moldamos agora um segundo não volta mais. Estou obtendo isso ao ver a linha do horizonte e o ocaso do sol. o outono é um tanto previsível, mas a cada instante caí uma maçã madura do pé. ou uma jaca.
>¨<

11 comentários:

Papagaio Mudo disse...

tomei emprestado essa foto da minha prima Jaqueline, pra lembrar o quanto a vida pode ser feliz.

>¨<

Papagaio Mudo disse...

a Jaque é nutricionista com doutorado em Paris, onde morou 4 anos.
beijos,

>¨<

Sir. Caiocito, o Lorde de Long Beach disse...

Gusta

A virgula deixa o texto menos cansativo. Uma oração curta tb. Tipo: oi, Amém, ponto.

Eu tô para escrever sobre essa ideia que os filhos tem que sair de casa para serem independentes. Independência tem outro valor pra mim. Outro valor estúpido, digamos, mas nao deixade ser um valor meu. Não me importaria ser sustenado pelo meu pai. Me ocorre agora a imbecilidade que é ser susteado por um imbecil qualquer que te paga um salário e estipula o valor do seu trabalho. Ou o mercado que te coloca hora e regras.

É um valor que eu já quebrei. Um valor quebrado é um passo para frente. É o lance da transvaloração de todos os valores.

Ser preso por paixões que idealizamos, taí uma coisa a ser superada.

um beijo pra Jax tb.

abrazoz

Caiocito

Sir. Caiocito, aquele que crê mas não tem fé. disse...

A História do Bomberinho. (para meu amigo Gusta)

Segundo os monges Tibetanos, o Bomberinho é uma bebida barata que os adolescente da Praia Grande, baixada santista, inventaram para encher a garrafa de coca de dois litros e levar para a praia.

O bomberinho é feito de pinga charope de groselha e limão, tem que ser ingerida gelada. Em Belo horizonte, segundo os monges tibetanos, os adolescentes da zona norte inventaram o Tubão. Que é um Hi-Fi caipira. O Tubão é feito de Pinga Chora Rita e Fanta laranja, bebe-se quente e no gargalho.

Não beba nem com moderação.

abrazoz
Caiocito

Papagaio Mudo disse...

Sir Lorde of Long Beach,

as cordas vocais o ar os impulsos elétricos do cérebro para gerar a fala podem ser consiferados o modem de transmição de dados. sem o sem o qual não nos comunicariam. assim com o aparelho auditivo é o modem de recepção da informação.
o Ed talvez tenha razão, ser ficcionista é menos pedante.
abraço,

>¨<

Hellen Rêgo disse...

Enquanto eu lia esse post me veio uma música, mas nao tem mt com ele...
diz assim:

Vou-me embora
Vou-me embora
Vou buscar a sorte
Caminhos que me levam
Não têm Sul nem Norte
Mas meu andar é firme
E meu anseio é forte
Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

Vou-me embora
Vou-me embora
Nada aqui me resta
Senão a dor contida
Num adeus sem festa.
Eu vou na ida indo
Que o temor desperta
Cuidar da minha vida
Que a morte é certa.

Quem disse que trazia
Até hoje não trouxe
O bem de se fazer
da vida amarga, doce.

Eu não espero o dia
Pouco me importa
Se o velho é sábio
Se a menina é louca
Se a tristeza é muita
Se a alegria é pouca
Se José é fraco
Ou se João é forte
Eu quero a todo custo
Encontrar a sorte.

Vou-me embora
Vou-me embora
E levo na partida
Resolução no peito
Firme e definida
Quem vem na minha ida
Ouve a minha voz
E cada um por si
E Deus por todos nós...

Paulo Diniz
Boa nooite!

Papagaio Mudo disse...

oi Hellen,
talvez porque o Vinícius fala da vida "uma aventura errante". Estamos aqui para aprender o desapêgo; egoísmo, sentimento de posse que podem ser confundidos com amor.
boa noite,

>¨<

Papagaio Mudo disse...

Sir aquele que crê mas não tem fé,

a fé sem obras fé sem ação, precisamos ser feliz.
quanto ao "bombeirnho" parece manchete de notícia de fofoca.
reverências milord,

gustav...ratinho sabedoria.

Papagaio Mudo disse...

"a transvaloração de todos os valores" Nietzsche. é complicado ir contra a correnteza, quanto ao pai quanto aos valores quanto ao amor... sou meu maior comentarista.
abraços,

Gustavo

thais disse...

Há, existe uma outra, feita de açai com cachaça que pode ser ingerida quente ou gelada! Vc pode trocar por vodka tb! Todos esses intorpecentes nao irao tirá-lo de lugar nenhum muito menos levá-lo a qlqr, porém todos têm dias de cão. Quanto a busca da felicidade, sempre há as vezes que os valores correm atrás de nós, e outras onde nós corremos atrás dos valores. Creio que essa "liberdade" de conceitos éticos, são a marcha do mundo em busca da beleza. Por esta razão sempre estamos atentos a frases, e "" que possamos nos basear, sendo que "dentro é um peso imenso e alma um conto de fadas".
Uma questão será: que uma vida nunca poderá ser comparada com outra, sendo assim, uns andam em marcha 1 outros em 3, e outros ainda são como tocos de enxurrada, lassie afair.

t.

Papagaio Mudo disse...

sim t.,
concondo com a forma como você vê as coisas andarem no mundo. você já ouviu falar na Roda da Fortuna, carta do tarô, os enforcados desesperados e depois vão subindo e adquirindo bônus por algum motivo, o pesapêgo (material e espiritual), a caridade com os outrs, vontade real de ser feliz... acho q tudo é válido, tudo ato bom. Inclusive a progressão-retidão que estou vivendo.

>¨<