sábado, maio 17, 2008

folha de papel

essa é a minha hora. a hora morta. nada de mórbido, simplesmente a hora que adoro. a energia d que todos dormindo. as luzes nos prédios apagadas. uma janela aqui outra ali refletem o brilho oscilante das TVs. essa é a hora em que eu correria na lagoa. trocaria idéias trocaria o dia pela noite. mas como eu não posso faze-lo, lanço minhas palavras no silêncio sussurrante da madrugada. sem considerá-lo um ato de glória só mais notívago solitário na esfera do vazio do nada da folha de papel. retroagindo sobre mim o sono mal dormido. enfim... o tempo voa voa também o super homem quadrinhos, nas tela de cinema. Um poeta francês disse em verso q é preciso ser vidente. cartas de um vidente. o casamento entre o céu e o inferno. Todo poeta tem um olhar vago e um olho caído. esse loirinho danado não fugia a isso. “é preciso ser vidente” homenagem singela, no meio da madrugada, a Rimbaud.
>¨<

5 comentários:

liberté disse...

Li e me lembrei de vc.

"Les illusions, -- me disait mon ami, -- sont aussi innombrables peut-être que les rapports les hommes entre eux, ou des hommes avec les choses. Et quand l'illusion disparaît, c'est-à-dire quand nous voyons l'être ou le fait tel qu'il existe en dehors de nous. nous éprouvons un bizarre sentiment, compliqué moitié de regret pour le fantôme disparu, moitié de surprise agréable devant la nouveauté, devant le fait réel. S'il existe un phénomène évident, trivial, toujours semblable, et d'une nature à laquelle il soit impossible de se tromper, c'est l'amour maternel. Il est aussi difficile de supposer une mère sans amour maternel qu'une lumière sans chaleur; n'est-il donc pas parfaitement légitime d'attribuer à l'amour maternel toutes les actions et les paroles d'une mère, relatives à son enfant? Et cependant écoutez cette petite histoire, où j'ai été singulièrement mystifié par l'illusion la plus naturelle..."
per Baudelair

liberté disse...

pode ler agora,
"As ilusões - disse-me o meu amigo - também são inúmeros os relatos de que talvez os homens entre eles, ou os homens com as coisas. E quando a ilusão desaparece, ou seja, quando estamos ver ou ser feito, uma vez que existe fora de nós. sentimos uma sensação estranha, complicada semestre de pesar para o fantasma desapareceu, metade agradável surpresa perante a novidade, antes do fato. Se existe uma fenómeno óbvias, triviais, como sempre, e de uma natureza que seja impossível dar errado é o amor maternal. Também é difícil para assumir uma mãe o amor de uma mãe sem luz, sem calor; n ' Não é que é perfeitamente legítimo para atribuir ao amor maternal todas as acções e as palavras de uma mãe por seu filho? Ora ouvir a esta pequena história, quando eu era singularmente mistificado pela ilusão mais natural ... "

A Poetinha disse...

Papagaio mudo, pelo que andei vendo você é poliglota e insone. Gros bisous.

Papagaio Mudo disse...

rs... boas concluções, cara poetinha. seja sempre bem vinda. Gros bisous, pour toi aussi.

>¨<

Papagaio Mudo disse...

pretenso poliglota... curiso.
já leu Flaubert? meu xará, Gustav.
procure um conto chamado "um coração simples" = (equivale a) 500págigas de qualquer best-seller.
bisous,

gustavo.