domingo, junho 08, 2008

ser ou estar?

Hoje é domingo. hoje é apenas um dia qualquer. acerte na escolha. foi aberta a contagem, porém, a contagem dos dias e das horas já me fustiga e eu não faço mais. Apenas viver da forma mais saudável possível e tentando evoluir também o mais rápido possível. E isso não está relacionado ao materialismo que rege o mundo do mesmo materialismo. falo de ser um homem completo. sabe? me sinto em tratamento. aqui nessa casa fluem boas energias, mas insisto em dizer que vislumbro sair daqui em breve. Conseguir a minha emancipação e viver a vida no meu cantinho. dessa vez com um pouco mais de dignidade. Acho eu esse tratamento terminará em breve, não falta muito. daí então estarei cumprindo a minha missão na terra, jovens terráqueos. quem sabe, ter um filho? cuidar e proteger. isso é um sonho idílico, mas não Platônico. é real. quando ela ver o homem que está deixando escapar pelas mãos talvez eu esteja longe. o sofrimento pelo qual estou passando existe um porque, mas não há bem que dure nem mal que nunca acabe. existe também a lei do retorno Para cada ação existe uma reação além-Newton, um inexplicável inflexível quanta que se repete no além-Tempo. Quando deixei pesseguinho ela chorou por mim (e eu por ela, enfim), mas já estava em outra. me sentindo em casa, parecia que tinha encontrado aquela mulher da minha vida. no início fiquei relutante em amar, varias horas eu titubeei mas enfim estava entregue. por várias fases passei até entender que havia algo marcado em dor e lágrimas e amor visceral. quero dizer que imaginei o dia em que estaria na situação da Pesseguinho, vendo-me apaixonado por outra e tal, e nunca pensei nesse dia. De qualquer forma eu estava amando plenamente. a tudo deve-se um contexto evolutivo, de empenho e compensação.
>¨<

15 comentários:

P. disse...

SEMIÓTICA DA PAIXÃO

"Quando há sinais

pode não haver fogo."

Papagaio Mudo disse...

índices são questionáveis?

>¨<

p. disse...

absolutamente.

p. disse...

absolutamente.

Papagaio Mudo disse...

Fico feliz em saber. Mais calmo do qu lendo os epicuristas... talvez o próprio Epicuro.

>¨<

Hellen Rêgo disse...

É do ser humano,
chega uma hora que ha uma vontade incompreensível de viver, cuidar, viajar e amar.
Será q em breve virá um novo poeta ao mundo?
hehehe
bjos

Papagaio Mudo disse...

Hellen,

te adoro. o poeta está escondido. a qualquer hora surge de assalto.
beijos,

Gustavo

p. disse...

quer calma leia um romance.

Papagaio Mudo disse...

tipo Crime e castigo? Dostoiévsky, Tchekhov ou bestsellers água com açúcar?

>¨<

p. disse...

eu prefiro bestsellers água com açúcar, mas já exerimentei Miller, que romanceia a própria via e me diverti por alguns momentos antes de morrer de tédio.
eu estou terminando de ler, meio envergonhada, a insustentável leveza do ser. eu sou péssima leitora, acho quase tudo bom.

Papagaio Mudo disse...

humm... 3 contos de Gustav Flaubert me inspiraram e emocionaram mais do que 1500 páginas de bestsellers que eu havia lido na época. Tipo Deixa eu ver esse livrinho aqui do Flaubert... e daí nunca mais li bestsellers nem pra passar o tempo.
aliás, o meu Tempo de leitura jamais foi o mesmo. se fico entediado largo. Não me obrigo à ler nenhuma obra prima nem à nada. Mas sou seletivo por instinto, eu acho. Edições portuguesas... Gosto de ler livros associação de idéias, tipo procurei livros desconhecidos de autores famosos e quase nunca vice-versa. "Tempo" de leitura, é isso.
abraços, Plí

>¨<

P. disse...

sp é uma cidade magnífica, aqui li Robert Musil por dois conto e Fernando Pessoa também. Fiz outras tantas coisas grátis! E outras tantas caríssimas. Mas o que eu mais faço é ler tolices na tentativa de não socializar com ninguém.

Papagaio Mudo disse...

Boa essa, Plí. da socialização.
manda-me o nome de uma tolice.
uma bem bobinha.

>¨<

p. disse...

Paixão no banco dos réus.

Papagaio Mudo disse...

vou procurar...

>¨<