domingo, julho 06, 2008

voando às cegas

em mim mesmo, Lágrimas ao lembrar de você, ainda lágrimas. sem sal sem desgosto não amarga mais nem adoça. meu pensamento em crise minha primeira órbita. era obvio que ficasse mal mas agora que ainda me resta uma esperança de ser feliz, de tentar fazer como você. de tentar me esquecer e seguir sua vidinha, cultivando amigos e pequenos vícios diuturnos. a crueldade que paira na dúvida e no ataque, mas os queridos amigos se safam. só se ataca quem sabe-se que o ama incondicionalmente. como disse várias vezes Quisera eu ver sua avô atenta a um pití-histérico seu, somente um dos vários que me fizeste passar. Fiz novos testes de controle de mim mesmo. eu fiz novas metas que te excluem definitivamente. sinto em dizer que tudo que contive aflora neste momento em forma de desprezo e finda por aí. quando dizes que queres me ver bem, vai-te, i-te! vês? nas entrelinhas me chamas de pobre... mas deixa. quando ela ouvir os meus poemas vai chorar.

>¨<

5 comentários:

Cris Moreno disse...

Olha Gus...superação total! Meu amigo...vc está maravilhoso! Voltarei...voltarei...sempre para ler este post!

Beijos.

<">

*Gus, estou via Caio(laranja). Leve, leve amigo...

O lendário. disse...

Eu sou o assessor cultural do Gus. um agradecimento ao meu guru de pijamas na facu.

Cris Moreno disse...

rsrs

Coloque o seu perfil de volta, isso sim. Onde está vc, menino!

Beijos.

Papagaio Mudo disse...

quando estiveres merecendo, ensinarei um pouco mais.
assim que descer de minha caverna...

>¨<

liberté disse...

ei, mauricio. to aki, quisera eu que todos tivessem sua pontualidade!
um abraço!

mada!