sexta-feira, agosto 22, 2008

Drummond




Esse é tempo de partido,
tempo de homens partidos.
Em vão percorremos volumes, viajamos e nos colorimos.

A hora pressentida esmigalha-se em pó na rua.
Os homens pedem carne.
Fogo. Sapatos. As leis não bastam. Os lírios não nascem da lei.

Meu nome é tumulto, e escreve-se na pedra.

6 comentários:

Papagaio Mudo disse...

meu nome é Carlos

>,,<

Menina do mar disse...

:-) brutal! Adorei! Beijos

Papagaio Mudo disse...

machuca, né?

vou por o link para o poema completo, além desse pequeno fragmento...

Beijo

>,,<

Papagaio Mudo disse...

tumultuada anda a vida na sociedade pós-industrial.

>¨<

Menina do mar disse...

E o link? Queria conhecer o resto!

Papagaio Mudo disse...

menina do mar,

link para o poema Nosso Tempo

http://www.lyricstime.com/carlos-drummond-de-andrade-nosso-tempo-lyrics.html

aproveite!

>¨<