quarta-feira, janeiro 07, 2009

Barcelona


?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪Urbanidade. ?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪0;�vanecem de soslaio. Estou semi �����������#0;0;&olhando?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪tudo e escrevo. Poeta de café, actinta em apuros. Em casa não há ao sol, E r em mim, meus olhos,a meus movimentos, meu rosto. A miséria hoje me perseguio sol, caído no chão com a língua de fora, a rádio Itatiaia informa. O homem do subterrâneo emerge nas ruas sem destino. De repente me sinto palidamente constrangido. Não com o movimento da rua e os transeuntes mas comigo mesmo. E parece transpa⨪⨪⨪⨪r em mim, meus olhos, meus movimentos?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪, meu rosto. A miséria hoje me perseguiu?⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪⨪Lá vão eles procurar sapatos e deliberam o dia com moedas com���������������&#;ara mim,����������������&#
>¨<

14 comentários:

Papagaio Mudo disse...

Pantagruélico

>¨<

Menina do mar disse...

No mínimo...
Rsrsrsrs

Papagaio Mudo disse...

entretanto


porém

Menina do mar disse...

sentido, ressentido, reminiscente, exótico, altruísta....
confuso...
contudo...

K. disse...

bêbado?

Papagaio Mudo disse...

talvez

roserouge disse...

Metes-te nessa merda e depois é o que se vê...

Papagaio Mudo disse...

ora pois,
isso foi um erro de sistemas operacionais na hora da migrar informações, que, por via das dúvias, deixei assim.
não ficou "belo" roserouge?
não compreendes a arte dadaísta.
veja a última postagem da Alice,
(no país das maravilhas)...
blah.!



>¨<

morenocris disse...

BELO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

beijocas.

<">

Raquel Emanuelle disse...

No quarto não tem sol
No Belas tem, de tarde

Papagaio Mudo disse...

ok, vamos!

>¨<

Papagaio Mudo disse...

quero dizer, você gostou da desconstrução dadaísta?
beijos,

Gustavo

Raquel Emanuelle disse...

rsrs, engraçadinho!

Papagaio Mudo disse...

rsrsr, bobinha!