terça-feira, fevereiro 03, 2009

Noites Adentros, NY

P a r t e 8 O ínicio do fim

Parecia que um abismo se abrira entre nós. Há tempos não estávamos intimamente ligados. Eu passei a amá-la sem que me desse conta. Passei a depender da sua presença, mesmo que ocasional. Passei a desejá-la cegamente, como se deseja saciar a fome, como se deseja curar um mal, como se deseja tratar de uma ferida do passado. Havia nos olhos dessa, meio índia meio alemã, razão e paixão mescladas de forma incompreensível.
A Gi não precisava mais trabalhar. Depois de negociar os diamantes com o velho Josef, investiu metade da grana que recebeu na bolsa de mercadorias e a outra metade estava novamente na Suíça. Ela contratou um corretor de valores que cuidada do dinheiro aplicado. Era da turma do East Village que o Steve nos apresentou.
Steve Kovalinsky – assessor e menino-de-recados do Lloyd, filho ou neto de imigrantes, rosto imberbe de garoto e pequenos olhos azuis – levou-nos, certo dia, dois convites para um espetáculo off Broadway. Disse que o Lloyd queria nos ver, mas sempre estava muito atarefado para isso. Steve trazia notícias de como estava o andamento das coisas - publicações, pesquisas, negócios e etc. – que eu não prestava muita atenção. Ele tem participação importante nessa história que vocês vão saber mais adiante.
Eu agora passava a maior parte do tempo sozinho, lendo, escrevendo. Minha vontade era mesmo sumir. Vocês não imaginam até onde os pés desimpedidos de um homem são capazes de conduzi-lo, por força da solidão.

>>¨<<

(s e g u e...)

4 comentários:

Menina do mar disse...

Brutal!
Adorei!

Liberté disse...

Concordo com a del mal!


quanta novidade. postei o meme no meu blog + quase ñ consigo gente para completar os indicados.

o dailymotion tem muita coisa, né!

E essa imagem do noites adentros eu adorei bem Hokusai, um pintor que adoro!!!
Pena que esse enredo esta chegando ao final.

Conta mais conta mais!

Taty

Papagaio Mudo disse...

Danke shön!

Papagaio Mudo disse...

oui oui
merci

>¨<