domingo, março 08, 2009

Loveland


Prognóstico. Esse é o dia, meus amigos, eles acharam que nunca acabaria. Decidido a sair do monastério, o guru de pijamas veste a roupa. Andar pelas mesmas ruas respirando o que chamam de vida. Sonhando acordando, calculando cada passo antes de avançar demais em sua direção. Nós viemos aqui pra chorar ou pra viver?
É preciso passar o arado sobre a ossada dos mortos. Os pássaros cantam, mas as folhas das árvores não se movimentam. Pelas ruas... de volta à minha célula, meu DNA. Tenho vista para a montanha coberta pelos prédios. Talvez o início, o auspicioso início de uma grande ilusão. O fim de uma triste despedida. Enfrento o papel com riscos e rabiscos. A proximidade me distanciou das pessoas que mais gostava. A distância preserva a imagem do mito. Preencho minha ficha médica. Paciente, data do nascimento, horário. Embaixo está escrito – História Clínica. Não sei o que estou fazendo aqui nessa sala de espera. Sim, esperando. Podem me dar um incentivo? Um café. A menina me deu um cigarro superlongo ultrafino. Na pós-modernidade, tudo que é metafísico se solidifica. Tudo que é profano será consagrado. Existem várias verdades pra mesma mentira. Verdades e mentiras juntas no mesmo postulado. Boca nervosa, um soco na buceta. Primeiro beijo na boca, primeiro tapa testa, primeiro chute na bunda e a quinta mulher que não presta. Somos um grupo de individualistas. Domingo, dia internacional da mulher dia de sol de recomeço dia de vida dia morto. Sobrevivo das falas amorfas. No páreo pelo pódio que entorpece, meu falo foi sua desculpa feminista para o estresse. Vou-me embora para Loveland, país do futebol, tudo termina empatado onde ninguém marca gol.

>¨<

27 comentários:

Papagaio Mudo disse...

Convido todos a tomar uma cerveja no Bar do Bardo, em homenagem ao dia internacional das mulheres.
Venham comigo! a poesia é por conta do Henrique Pimenta.
Vamos!

Menina do mar disse...

Ai como ia de boa vontade...
Domingo, dia intenacional da mulher... dia vazio...

Papagaio Mudo disse...

As palavras em itálico são fragmentos de um soneto do Henrique Pimenta, autor do Bar do Bardo, publicado hoje em homenagem às mulheres, que peço emprestado.

http://dobardo.blogspot.com/

ps: Henrique, tem Campari lá no Bar?

Cristiane disse...

Uma narrativa deliciosa... detalhes.

Imagens fortes.Adorei.

Ana Paula Motta disse...

Vi teu comentário no meu blogue.Vim conhecer esse espaço. Quanto a multidões posso amá-las ou detestá-las. Ando em busca de pequenos espaços, pequenas reuniões, por hora...

BAR DO BARDO disse...

Gustavo, parece que tu é doido. Ainda bem que eu também sou isso. Doido com doido se entende. Campari a gente temos.

Bom texto o seu.

Obrigado pela citação.

- Henrique Pimenta

nydia bonetti disse...

Gustavo e Henrique
Bela dupla vocês formaram: Sensíveis, irreverentes, talentosos. Gosto demais do "estilo" dos dois.
Este texto: perfeito
bjs.

BAR DO BARDO disse...

nydia, eu escutei isso!

obrigado!

Papagaio Mudo disse...

Obrigado Nydia,

são ócios o hipertextualismo -dividir os méritos com o Bardo.
também com Baudeleire, Rimbaud, Blake, Jenet, Cocteau, Burroughs, Ginsberg, Keats, Shelly, Wild, Verlaine... ou seria multiplicar? multiplicar, claro!
Abraços,

Gustavo

fred disse...

”tudo termina empatado onde ninguém marca gol.”
Há esperança, contudo, pois “O Fenômeno” voltou a marcar, e de cabeça, de cabeça, repito: de cabeça.
Seus textos são sempre muito bons.
Abração.

Avassaladora disse...

Atraida por seus cometário no Bar do Bordo, aqui cheguie...
Gostei!
Estou lendo seus post antigos, tentanto ententer primeiro quem é vc...rsrsrs


Beijo avassalador!

Karla disse...

vi seu coment, achei que estava no meio do mato...
tenho passado aqui frequentemente, me agrada seus hipertextos.

ab

expressodalinha disse...

Uma abordagem original. Não consigo competir. Gostava que houvesse dia do Homem!

Conceição Duarte disse...

Pois é, essa coisa do dia da mulher é um tanto quanto ridículo, enfim, assim estipularam.

Mas gostei muito do seu post, das fotos, de algumas palavras bem usadas,,, e do páis do futebol...

Muito bom.

Lindo seu coments no meu blog sobre o assunto da Inclusão Social. D+++

Obrigadíssima, bjus CON

nina rizzi disse...

ai, eu quero amigos... julho taí, né.

meu poste era gigantesco? ai, aquelas abre-viações me jwvfjqwfbjwcuwecvjw

nina rizzi disse...

ai, eu quero amigos... julho taí, né.

meu poste era gigantesco? ai, aquelas abre-viações me jwvfjqwfbjwcuwecvjw

Papagaio Mudo disse...

wieder nina rizzi...

sehr gutt!
Küsse

>¨<

roserouge disse...

Não comemoro o dia da mulher, acho uma afronta e descriminatório. Mas bebo um copo contigo quando aí for ou tu vieres cá. Tá combinado, pequeno!

Adriana disse...

Embora já não seja 8 de março, li o texto como se fosse e o bebi como se bebe vinho em uma noite fria. e gostei.

Papagaio Mudo disse...

oi Adriana,

obrigado.
Suas vistas sempre me agradam.
Bem, o dia das mulheres...
Beijos,

Gustavo

Papagaio Mudo disse...

roserouge,

bebamos à Baco, então!
viva os prazeres da vida!
"brancas bacantes bêbadas o beijam"
dos Anjos

Evoé!

Gustavo

Liberté disse...

o último desejo é o amor!

(autor conhecido)

Dulcineia (Lília) disse...

Originalidade. às vezes dificil mergulhar nela, acompanhar... tenho que fazer marcha-atrás, rs
Ai, mas se toda a loucura se chamasse Gustavo e/ou Henrique...o mundo era saudável!
Um abraço com carinho

Papagaio Mudo disse...

viu?
querida e amada Dulcinéia,
bjos,

>¨<

Menina do mar disse...

Oi Gus!
Vai no meu canto e...
Voa Papagaio!
(:
Beijos de cá

Liberté disse...

Dê um look no liberté - bamboodoo,
escrevi um poesia.

Papagaio Mudo disse...

menina do mar
e Liberté,

podem deixar que farei as respectivas visitas.
Beijos,

Gustavo