sexta-feira, maio 29, 2009

Guacamole Queen

Qualquer variação de forma [ou norma] na política, no futebol, na religião e na arte é um forte indicativo de muita má sorte. Reduzindo, qualquer variação de forma é má sorte. Um sintagma não é um enigma. A língua instrumental não se apreende com a flauta-piano. Mini-mundialmente falando, o passado só existe como signo. O passado é o functivo de uma observação deixada por Deus (ou a Natureza). Derivações do quinto enigma consegue acompanhar? O espaço só existe porque é fluido. por ser fluido deixa uma estampa que pode ser medida. Stampa noir semi-minimundana, um espirro, por exemplo, uma bomba atômica. Somente por possuir essa capacidade, essa qualidade de poder ser medida (índice) é que podemos afirmar a existência do Espaço. Stranho? Então leva minha energia em todas as partes do corpo que toquei. A vida foi boa o bastante para que não sentisse que me roubou nada, prosperidade e rudeza. Palavras escritas no escuro saem na ponta dos dedos, com passos de felino. Há muito, muito mudou, mudou muito. Na novela das oito não escrevem mais “a seguir, cenas do próximo capítulo” e sim, talvez por uma questão dos costumes da pós-modernidade. Resultado de uma análise sobre a expectativa do Sujeito quanto ao último bloco, ao fim, o medo do abismo que é preenchido por um instante que parece nunca terminar, portanto, se não acabou não é preciso esperar. Continua-se vivendo, e televendo. Para Sartori, o ato de telever transforma antropogeneticamente a natureza humana (Homo Videns: Televisione e Post-Pensiero, 1997). Fichas de telefone agora só servem pra jogar sinuca.

Qualquer carnaval ainda torna a queda inevitável.
Invado-me Eu. Invado os próprios de outro Eu.
Não Eu próprio, mas eu mesmo também. Invado vidas.
Invado minhas próprias vidas, sem duvidar da verossimilhança com minha alma.

Não entendo quem não entende
Amédée Achard.
Detestar é um perigo público à minha imaginação.
Sinto muito, mas não me importo.

11 comentários:

BAR DO BARDO disse...

"Um sintagma não é um enigma." e "Sinto muito, mas não me importo." merecem o destaque no bronze (embora eu prefira o ouro do xixi num muro, porque depois eu olho e digo: "lamentável!"). Santo Gus, você está indecifrável com tanta semiótica... Semi ótica? Tu é zaroio? Mas não é preciso decifrar o que foi escrito com sangue, né?

- Bardo Pimenta

Ines Motta disse...

Gustavo,
Obrigada pela amável visita.
Busquei adjetivos pra qualificar seu blog e não consegui. Não expressariam a real impressão. "Papagaia" muda, fico.
Quanto a você, está perfeito. Se falar, estraga.
Abraços.
Inês Motta

Papagaio Mudo disse...

bardo,
s. m.
6. Poeta celta que exaltava o valor dos heróis.
7. Por ext. Poeta lírico.

Antônio Houaiss

ps: poeta celta? vou pesquisar o significado...

Gisele Freire disse...

Que bom que está de volta Gus!

Gisele Freire disse...

Caramba Frank Zappa, o super maestro, fantástico!

Papagaio Mudo disse...

Oi Gi,

estamos de volta, procurando jogar um bom futebol... vamos nós empehnar mais... a equipe tá unida... e é bom te ver!
beijos,

Gus

Papagaio Mudo disse...

Oi Inês,

"papagaia" muda, perfeito! no meio de tanta papagaiada. Obrigado por retribuir o carinho.
abraço grande,

Gustavo

Gisele Freire disse...

present for you :)
http://www.youtube.com/watch?v=63DXpRxopCQ

Papagaio Mudo disse...

thanks!

>¨<

Danitza disse...

é bom ver o papagaio escritor das boas letras de volta

Papagaio Mudo disse...

;)

obrigado, Danitza!