sábado, junho 20, 2009

antinomia
s. f.
Contradição entre leis (e, por extensão, entre pessoas ou coisas).

Dialética do Juízo do Gosto –
Antinomia do Gosto.
Crítica do Juízo ou Crítica da faculdade do Juízo.

A beleza é
Universal objetiva?
ou
Tem acento privada e subjetiva?

Resposta se encontra
no racionalismo estético dogmático?
ou
no empirismo estético irracionalista?

Enunciado estético cognitivo – Fundado em conceitos. Fundado em leis da razão e do entendimento de todo Sujeito em regras que supostamente não variam de homem para homem, de cultura para cultura, de época para época.
Enunciado estético subjetivo – Juízo de agradabilidade, juízo estético empírico, de valores meramente privados, subjetivos e pessoais. Juízo empírico estético irracionalista – Não reivindicam universalidade. Opinião subjetiva, de “gosto pessoal” instranferível.

As duas afirmações assumem forma de tese & antítese
Irracionalista ≠ conceitualista

TESE
(A Arte) Não se funda em conceitos, caso contrário, poderíamos disputar acerca da beleza. (Opinião subjetiva).
________

ANTÍTESE
Funda-se e conceitos, caso contrário, sequer poderíamos discutir a beleza. (Fundamentação judicativa).

Juízo estético cognitivo significa de conhecimento teórico ou prático.
Dá o direito de disputar acerca do Belo. Disputar significa decidir através de demonstração lógica, cálculos exatos.
Juízo cognitivo, portanto, universal – precisa estar conectado a conceitos universais.



Kant(igus)

10 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Sim, conexão, interação...

As partes e o todo, o vice e o versa...

Andrea B. disse...

Passo essa...rsrsrs

Bjo ótimo final de semana...:)

Tibes ;* disse...

Aprendi uma palavra nova.
Gostei da vózinha do metal \m/

Gi Freire disse...

...complicada a questão querido Gus, neste caso vou optar pelo sublime que buscará o ilimitado ;)
bjs
Gi :)
Adorei a foto :)

olharapus disse...

é muito subjectivo falar de tudo isto! pois cada um de nós tem conceitos diferentes de tudo!... e assim o ditado o diz: "A beleza está simplesmente nos olhos de quem a vê!"
beijinhos e um bom fim de semana

Mariana Dore disse...

Essa foi boaa huahuahua

;D

Papagaio Mudo disse...

calma galera!!!

... essa é a primeira parte de uma explicação. Vou fazer a conexão no próximo post. Gravem bem esses conceitos, pois vou simplificar. E resumir o que nós garante o direito de expressar nosso gosto(juízo) sobre a arte*.
É bem simples, vocês Verão. 1º dia do Inverno, lembrei. Pareço um semioticista louco...
Abraço a todos,

Gustavo

ps:
*segundo Immanuel Kant, na 3ª Crítica.

Gi Freire disse...

rs ;)

Gicelle Archanjo disse...

Que coincidência...acabei de passar por isso em Filosofia da Arte, conheci um pouco dos escritos de Arthur Danto, que fala do Duchamp e do juízo de gosto na Arte... agora estou anciosa pelo próximo post!

Gi

Papagaio Mudo disse...

Oi Gi,

..antes um D de Desejo. Leia, acho que vai gostar. Duchamp... ainda quero escrever sobre.
Beijos,

Gustavo