sábado, agosto 15, 2009

cinema

Deleuze fala sobre o ato da criação
Gilles Deleuze spricht über Robert Bresson und die Filme von Akira Kurosawa

Au revoir Deleuze...

Gilles Deleuze fala sobre Robert Bresson e sobre o cinema de Akira Kurosawa

Comédia bufa, ou o Rintonelo - alma imerecida, inesperado solo, acumulação de cavilações, sandices, o último cacho planejar enganos, proposta traiçoeira, ironia maliciosa. Consciência adulterada, misturada de tecidos, fração de segundo, emancipação, cor de sussurros humanos incompreendidos. Córnea, bílis, tratores. Cinderelas da rua, um cabelo de gato na parte de trás de uma centopéia, atraso, odores de flores, fuligem, miscelânea. Cantando celeste péssimo no inverno, mutilação inadequada, contratação apaixonado, sonhos molhados de um pentelho, o cancro. Darius Golazo, Moneti, Quiros, prata da manhã, tristeza, dor e acúmulo. Eu te amo. Minha metralhadores cheia de mágoas...

Robert Bresson, um dos grandes mestres do movimento minimalista

e uma estrela na testa...
valores tácteis

10 comentários:

Mai disse...

all these words make me feel so weak,sad and strong at the same time. like 2004 with some travel.
Anyway, had to be. i'm glad to be who i am

crisigner disse...

oi gustavo.
enfim nos achamos na blogosfera?
aquela reunião foi chata à beça... devia ter ficado conversando com vcs la em cima.
=D
vamos nos falando.
um bjo pra vc é pra karlita.

Fran.ciellen :) disse...

Bom, eu realmente não sei explicar pq as mulheres gostam de borboletas, rs. Particularmente gosto delas pois, pra mim, representam toda mudança e metamorfose na vida. Elas se transformam durante o período de vida e em cada momento, em cada fase, tem algo de especial e talvez até encantador ou surpreendente. E eu tenho isso em mim, essa necessidade de mudar, de "ser" algo novo, algo bom. E quanto as abelhas, bem... Eu também gosto delas, sabe. Talvez tanto quanto de borboletas. Humanamente seria impossível que elas voassem e elas não se importam com que os humanos acham impossíveis. E voam, e são criaturinhas incríveis. E acho todas essas pequenas coisas encantadoras, por mais que isso, hoje em dia, seja algo "bobo e sem graça", especialmente para uma menina de 16 anos que é rodeada por "mesmice", por pessoas tão iguais. Sei lá, eu sou meio estranha, rs. E isso é só o que eu acho.

:*

pequena disse...

Olá Gustavo!
obrigada pelo elogio rs eu tbm gosto muito do título do blog rs

o seu é bem mais cult d que o meu rss e eu gostei rss

abraço e bom domingo!

Sônia Horn disse...

Olá Gustavo!!
Valeu pela visita, e q bom q curtiu meu trabalho!!Obrigada!
beijos,

Sonia Horn

Eduardo P.L disse...

Gustavo,

andas muito "mudo"....

Uma Pulga em desesperO disse...

Hello! Gostei do seu blog, das palavras... Abraços!

.:.A Luciana.:. disse...

"Passarinha" é engraçadinho.... Devo gostar do pronome de tratamento? kkkk

Deleuze é um filósofo? Sempre ouço minha amiga que estudava filosofia falar no Deleuze... será que é a mesma pessoa? Será que eu ouvi errado? o.O

Giovana disse...

cara , que blog lindo , que fotos lindas ! tudo maravilhoso , gosto tanto dessa coisa meio preta e branca , quase dá pra sentir o cheiro . não sei pq , deu vontade de falar , lembrei do cheiro de livrarias , e da diferença com o cheiro das bibliotecas . prefiro as livrarias . parabéns , desculpe as loucuras que eu dise kkkk . :*

- Ingrid disse...

hahaha, não volto não guri ! Essa foi uma das melhores escolhas que ja fiz na minha vida! (: