segunda-feira, agosto 10, 2009

baco de saudade


















Instante em que o melhor silêncio prefere calar. Sente uma vitória perdida que nem chega ser derrota. Sai no momento das últimas tarefas e fala que quando aos fundos pássaros piam cães ladram dá-se o último arrepio e ouve-se o barulho surdo dos náufragos.

doentemente

néctar venenoso

tua cara hirta na amplidão

corta a glote mascarada de pigarro

troça do meu troço

troça o meu gozo

sexo jubiloso







3 comentários:

Papagaio Mudo disse...

...porque ninguém fala nada é que essa porra não vai pra frente.
ninguém se assume o pequeno burguês ou alpinista social, o pobre-fajuto ou o rico-desmiserado, que é, foi ou pretende ser. Quem foi vegetariano hoje vive da grana de quem mata os bichano, corta, passa a faca, dessossa e vende. Feliz...

Adriana disse...

thanks :)
...and yes, the photos were made with a digital camera (fuji s5700)
i am glad you like them

Papagaio Mudo disse...

Adriana,

I'm glad for you visit. I sugested your blog here, on my blog. You make very nice photos. By the way, do u live in Romenia?
Kisses,

Gustavo