terça-feira, setembro 08, 2009

Imagem da Chepeuzinho Vermelho, O Lobo e os 3 porquinhos de autoria de André Toma, ilustrador de alta categoria que tem um blog fantástico, onde apresenta um pouco de seu trabalho. André Shitetsu Toma formou-se pela Escola Panamericana de Arte e tornou-se ilustrador profissional em 2004. A descendência oriental exerce grande influência sobre sua vida & obra, que acredito serem duas coisas inseparáveis... Essa imagem será publicada em breve, até o final do ano. Divulgarei aqui no Papagaio Mudo.
Vale a pena conferir o trabalho dele. Cliquem no nome do André ou acessem o link no sidebar. Ah, O André também tem uma neném que é uma fofura!
Bons fluídos a todos. Começo por dizer a respeito de uma observância minha. Como é difícil enxergar a tristeza nos olhos da pessoa. Se você não conhece a linguagem corporal, o comportamento – as rotas de fuga... Torna-se complicado ver. Do meu pai já conheço índices e sinais de tristeza, em oposição tristeza/alegria. Minha mãe, em sua sutil simplicidade, raríssimas foram as vezes que a vi triste. La tristesse est une maledie. Não digo que exista uma felicidade plena, mas estamos lidando aqui com o que há de mais sutil em nossa (quase) insignificante existência. Por outro lado, enxergo a tristeza nos olhos das pessoas, consigo analisar a quem me deixe ver seus olhos. Os olhos, acredito, são a via mais fácil, o caminho mais aberto à essa observação. Vejo o mais escarrado desprezo, amargura vitimal arrogante em olhos verdes, amargura vitimal ambiciosamente tímida em olho moreno. Inúmeros outros adjetivos, claro, que são característica essencial de cada ser humano. Em mim existe um vazio silencioso e parvo protagonizando os dias. É um devir filosófico impedindo o desejo animal de se lançar ao fogo da vida, ninho de cobrinhas, antro das ferinhas, e outros animais indefesos, e outros personagens coadjuvantes, e os figurantes, e os elementos da natureza e suas ocorrências, a chuva. Isso sempre foi um desabafo. Brachtest du Zahnbürste, guey? - trouxeste escova de dente?

14 comentários:

estela disse...

quem tem o cuidado de pensar em escovar os dentes, não pode parar de fazer bébés!

a finitude é isso mesmo, olhar a tristeza no olho do outro.

se cuide, moço!
nada de desesperos.

Caiocito disse...

O ser mais coadjuvante do universo, depois de Deus

BAR DO BARDO disse...

devir?... o que é devir? é o dever de ver ou vir?!


(andaram falando mal de você no meu blogue, meu santo... e estou aqui de leva-e-traz, porque sei que não é curioso e está bem acima - no éter... evoé!)

Anônimo disse...

devir
(latim devenio, -ire)

s. m.
1. Filos. Movimento pelo qual as coisas se transformam.
v. intr.
2. Dar-se, suceder, acontecer, acabar por vir.

as viciadas disse...

quem lê os olhos, lê o coração.

"amargura vitimal ambiciosamente tímida em olho moreno"

eu tenho olhos morenos.

beijoca da L.

Gicelle Archanjo disse...

Que lindo.

Maria Eliza Marques disse...

''Assim é que, no meu entender, têm língua amarrada o amor e a simplicidade: quanto menos falam, mais dizem". (W.S.)
Mudo, calado! Adorei por aqui!

Carla Martins disse...

Oi! passando só pra deixar um hello! :)

Uma Pulga em desesperO disse...

E quem sabe mentir, sabe esconder o olhar...

Louise Martins disse...

Olhares; quanta importância têem sob o silêncio que nos reprime ou simplismente nos faz entender que sensibilidade nem sempre necessita de palavras.
É como se fossem as janelas da alma.


Gostei muito.



Abraços,
Louise.

Papagaio Mudo disse...

isso Louise,
as janelas da alma... muito bem lembrado.
Abraços,



Gustavo

Vanilla disse...

Concordo com Louise Martins quando diz que os olhos são as janelas da alma, e se teus olhos forem bons todo o teu corpo será luz.
Gosto do que você escreve, passa algo inacabado, algo que está em busca constante!
bjss

Papagaio Mudo disse...

querida Estela,

Ich lebte in Frankfurt am Main nur sieben Monaten. Ich bin aus Minas Gerais Brasilien. Ich lebe in der Hauptstadt Belo Horizonte.
Abraços,

Gustavo

ps: deseperar jamais.
Du bist eine süße. Dank für die Worte...
schöner Stern

Carolina de Castro disse...

É sempre necessário fazer esse treinamento.. treinar para enxergar o outro!!
Isso é poesia para poucos.
Geralmente, somos muito egoístas!
=P