domingo, janeiro 31, 2010

poesia

perdoa por eu não ficar quieto

meu cérebro parece uma mariposa

meus medos, perdoa

por eu gostar dessa moça

alguma coisa que me corroa

alguma coisa que me faça doer por dentro

boca nariz estômago

a lua dá um grito no céu da boca

amarelada

uma rosa de lembrança retorcida

em um cabide do armário

até isso imaginário

desculpa contorcer minha dor

como um pano de chão

e esse sermão que prego a mim mesmo

com um sorriso de homem palhaço

pendurado no rosto

11 comentários:

Gisele Freire disse...

"Gostava só de lixeiros crianças e árvores
Arrastava na rua por uma corda uma estrela suja.
Vinha pingando oceano!
Todo estragado de azul."
Manoel de Barros

Sandra disse...

Muito interessante este poema e foto..A imagem é maravilhosa.. Fotografar e ver o mundo...
Dá para se criar muitas coisas com este imagem..
Assim como gostasas de poesias eu também..
Então...deixo o meu convite para conhecer
http://sandraandradeendy.blogspot.com/, além de viajar no outro blog Poetas um Voo livre. que dá a imaginação ao grande amor, que mora dentro de cada um de nós..
Aceite o convite para vim conhecer..
Se gostar...É só ser meu seguidor, nestes dois mundos cheio de luz...amor...vindas diretas do coração..
Um Grande abraço.
Sandra

Sandra disse...

Nosso cérbro, relamente não para...ele está em constante transição.
Sandra

Liberté disse...

gostei dos trocas tocas
cotidianos e rotineiros
pano de chao e sermao

inusitado imaginario

priscilla disse...

"desculpa contorcer minha dor
como um pano de chão."

amei *-*
foi voce que fez?

te sigo,me segue?

beiijs ;*

Vanilla disse...

Sempre inovando.
Passando p/ marcar presença.
bjss

Desi disse...

pela sinceridade explicita e implicita :)

bjs

Vanilla disse...

Sentindo falta do papagaio mudo no vanilla sky!!!

INÊS GOMES disse...

está mesmo lindo!

Bella disse...

Nossa eu adoro qnd comenta no meu blog, e sempre qnd venho aqi axo coisas qe me interessam. parabéns o seu blog é muito bom. obrigado pelo comentário 'homem de poucas palavras' :)

BAR DO BARDO disse...

Muito bom, meu caro!