domingo, abril 04, 2010

Fugitivo do Tempo

Sigo a empreitada nessa triste caminhada, nesse domingo de páscoa. As águas de março encerram o verão. O outono vem surgindo. Cálido, pacífico. Caíram todas as máscaras, todas as folhas. O que virá depois dessa chuva passageira? Virá o sol, acanhadamente? Virá mais uma noite? Com certeza virá novamente. Sigo sem fantasia. Evito olhar pra trás. Ter-me perdido em tanto pranto “pelo amor de Deus”. Custou tanto penar... as chuvas que apanhei, as marcas que ganhei, nas lutas contra o rei, nas discussões com Deus... tanta espera, tanta espera, mas jamais perder a dignidade. Braços vazios. Meus braços vazios balançam no caminho adiante. E mesmo que minhas mãos estejam ocupadas em escrever ou esganar, os pássaros voltam a cantar. A culpa será sempre dos mortos. Tempo fugidio.>>>>>>

>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Menino Vadio

7 comentários:

Gisele Freire disse...

Gus
Boa pácoa my friend :)
http://www.youtube.com/watch?v=HXbVdMIv-MU&feature=related
bj
Gi

Gisele Freire disse...

páscoa

Lara Amaral disse...

O que essas músicas não fazem com a gente...

Beijo.

Papagaio Mudo disse...

Oi Lara e Gisele,

Boa Páscoa! pra vocês.
A Páscoa significa renovação. Quando o Cristo resurgiu.
É tempo de mudanças!
Boas novas, para todos!
bons ventos...

Abraços,

Gustavo

Luciano disse...

Belo texto, mandou bem. E me fez lembrar de tão boas músicas, de tão bons momentos.
Abração de arte.

Wilson Torres Nanini disse...

As coisas são (ponto final) independentes de nós. Vc constata isso, embora com certa amargura e com resvalos de nostalgia, sem fazer com que sua marca ficasse arranhada um mílimetro que fosse. Mais um belo texto.

Abraço!

Wilson Torres Nanini disse...

As coisas são (ponto final) independentes de nós. Vc constata isso, embora com certa amargura e com resvalos de nostalgia, sem fazer com que sua marca ficasse arranhada um mílimetro que fosse. Mais um belo texto.

Abraço!