quarta-feira, abril 28, 2010

ma petit

Pássaro passarinho

Acho que ando retesado. Com câimbras cerebrais. Minha sobrancelha fica franzida, a minha testa enrugada e as minhas pálpebras teimam em querer cair enquanto uma lufada de vento não teima em soprar e as nuvens não se dissipam nem o sol não se ergue no céu. Sou eu que também se levanta. O brilho opaco da sublimidade. Sim, devo trabalhar. Devo cuidar de mim. Afinal, “o meu sustento não provêm disso”...

6 comentários:

Fabiana disse...

Que posso eu dizer? apenas que amei esse "Andy" do layout...e que sou uma apaixonada por Hermeto!
Gosto de vir aqui, moço "laranja mecânica" (rs).

Gisele Freire disse...

Oye como va!
Adoro teu texto e adoro o Hermeto :)
Dois dias que não venho aqui e tá cheio de coisas pra eu ler :)
bjs Gus

»^0^«

Adriana Godoy disse...

Papagaio, tenho lido seus textos com frequência e parece que vc está num turbilhão de sentimentos, percepções, encontros e o escambau. Isso é muito bom, faz bem à escrita. Aliás, gosto muito de seus textos. Às vezes, tem uns que piram mais que os outros e a gente vai levando. beijão.

Karla disse...

Posso ver você enrugando a testa e eu tentando desfazer as ondinhas com as pontas dos dedos.

Saudade boa sinto agora. O ódio eterno que reinava passou, sabe. Agora tem alguma coisa boa no lugar e lembranças alegres. Espero que seja assim com você também.

E espero que esteja dormindo bem...
Boa noite.

Papagaio Mudo disse...

Que bom que sente "saudade boa". Eu sinto simplesmente saudade. Nenhum ódio.

Saudade. Saudade de nossas conversas sobre a vida, saudade do que não fizemos juntos. Mas ainda há muito pra se viver, ainda há um caminho vasto pela frente.

Como nossos caminhos se cruzaram? não sei. Não sei dizer, não consigo explicar.

O coração é de ferro.

As noites têm sido vagas, sem pensar em nada, como ver novela.

Mas eu te desejo boa noite sempre.

Um abraço, daquele pelo qual me encantei,

Gustavo

Papagaio Mudo disse...

A minha testa tem franzido menos.