sexta-feira, abril 02, 2010

Sexta-feira, santa


Senhor,

Dá-me forças para seguir-te a senda
Ajuda-me a tomar as cruzes que mereço
A cruz do amor que ama sem aguardar amor
O lenho dos defeitos que ainda me deformam
O peso do insucesso e do orgulho abatido
Mas guarda-me a esperança

Facilita a minha vida, por favor
Assim seja...

Um comentário:

Nydia Bonetti disse...

nossas cruzes
pequenas
as desprezamos

enquanto outros
imensas
as carregam

Achei tão bonito teu comentário ao meu poema, Gustavo... Obrigada. Boa Páscoa! Beijo.