terça-feira, maio 04, 2010

ah, sim...


Beleza? Aquela noite em tempos de se gostar, as nuvens se contrapunham ao entardecer, ofuscando o sol. Tristes e sonolentas despedidas aos domingos de tarde. Agora eu me calo sem fazer alarde. Escreveu-se essa história com meus próprios atos. Caminhei sem lado a lado. Sozinho, liberto. Libertino?, não, libertário. Um pássaro fora da Lei. Livre e certo de si. E o resto... um vôo enigmático pela alma. Certo despudor de ser e existir. Encontrar uma verdade melhor do que essa. Pegar um apoio na asa dos anjos. Um rabo de saia. Um trago. Não... Falar sozinho é melhor do que isso. Melhor do que nada. Terá sido apenas um engano?


Nenhum comentário: