terça-feira, maio 25, 2010

paisagens flutuantes







Hoje não houve entardecer. A noite caiu simplesmente, mas a lua ainda brilha no céu. Foram longos os entardeceres que passei diante dessa janela pensando em você. Preciso pedir perdão e não aguardo resposta. Pedir perdão e perdoar a mim mesmo, por coisas que fiz ou disse, consciente ou inconscientemente. Enxugar as últimas lágrimas. O fim do fim. Revolta, entendimento, aceitação. Levou tempo, mas creio que já “aceito”. As palavras têm um significado tão restrito. Passei por uma reforma íntima tentando entender. O pior erro é tentar entender. Cada ser humano é um mistério. Contudo insisto nessa mania de ir fundo na questão humanística. O “nosso” tempo é de seres humanos descartáveis em um cenário obscuro. Sempre foi assim. Ela tinha só uma libidinho por mim. Recomeçar. Peço-lhe que me perdoe e fique contente.

Um comentário:

Anônimo disse...

Tambem percebi que a noite caiu por completo.