segunda-feira, maio 31, 2010


Lembra-me mais tarde que as horas passaram e eu não estava aqui. Diz que eu fui à cidade comprar um bilhete e diz que eu era imponderável. Depois saiu da cidade e a cidade não acabou. Continuou pensando sobre os pacotes de comida para viver. Queria avaliar como estaria enganando a fome com um plano falho. Torpe o bastante, queria lidar com aquela fonte. Em parte estava querendo ficar, mas a solidão chegou como uma mensagem. Então me lembra, quando acabar a novela.

Nenhum comentário: