sábado, junho 12, 2010

Valantine's day


Dia dos namorados... Quê dizer? Já tive muitos amores mas nunca tive “amor”. Espero encontrar em seus olhos esses suaves olhares. A embriaguez do contato, o aroma, o cheiro de flores, cheiro de madeira seca. Arrepiam a ponta dos seus peitos e você gosta mais da maneira que olho enquanto olho e passo a língua na sua pele e beijo. Onde estiveste? Estou a sonhar acordado? Fala de coisas do Infinito. Cala minha boca com os lábios e domina meus escritos, meus segredos, meus sentidos, cega de prazer. Não demonstro meu apego, subtrai meu ego. Faz-me lembrar somente as desventuras. Mas a vida é mesmo, como diria o poeta, “é uma aventura errante”. Desfaz-se a distância no Espaço agora. Todos são forçados a catequizar seus demônios, domar as feras, viver e deixar viver. Hoje, desejo ao amor que seja pleno. Nulo de desgaste. Vazio de interesses escusos e completo de paz. As mágoas... guardo em um livro lacrado. Trazem boas lembranças que culminaram no desfecho. E se não tivesse o sofrer? Essa noite desejo aos amantes que se amem “bem” que se cuidem que se guardem.

2 comentários:

Rabisco disse...

Engraçado o dia dos namorados ser comemorado hoje aí...
Parecia que, quando vi o post, de repente estava a viajar no tempo...

=)

Adriana Godoy disse...

É isso, Papagaio...muito bom e poético seu texto. beijo.