terça-feira, junho 08, 2010



Hoje é apenas mais um dia de nossas vidas. Um dia neutro, para mim. Minha barba continua crescendo. A fase é de mudanças e, aos poucos se vai tomando os primeiros passos. Porque existem pessoas nesse mundo? Eu viveria bem sem todas elas. Como no planeta dos macacos. Enchi o saco! Eu não tô legal. América, você me fudeu. Quero ser um ermitão andino. Viver em uma toca, no alto de uma montanha gelada. Eu e os pumas, as lhamas, os guanacos. O condor, ave símbolo do dessa pontinha do mundo, seria como para mim como a águia de Zaratustra. E eu não diria nada, com ninguém. Sairia correndo no mato gritando o nome do santo. Hoje é apenas mais um dia devagar e sem ação. Dedicado ao pensamento, e ao ócio. O relógio das sombras como uma régua. A fogueia das vaidades sussurrando nos meus ouvidos. Acidentalmente. As mudanças, a imprevisibilidade, a insegurança. O café gelado. As sombras já subiram enquanto o sol desce estamos também em declínio. O fim de uma família. Sinto-me um gangster sem família, um peso, um estorvo, um piano de calda.

4 comentários:

citadinokane disse...

Um piano de calda, um peso, um estorvo...
Ócio criativo.
Melhores dias!
abs,
Pedro

Gisele Freire disse...

...FICA ASSIM NÃO MY FRIEND..., JUSTO HOJE QUE É DIA DO MEU NIVER :)
BJ GUS :)

Gisele Freire disse...

...FICA ASSIM NÃO MY FRIEND..., JUSTO HOJE QUE É DIA DO MEU NIVER :)
BJ GUS :)

Papagaio Mudo disse...

parabéns duas vezes, Gi.

!!!


Gus