quarta-feira, julho 28, 2010

uma cuspidinha pra cima durante o futebol


Rancor com a vida. De repente alguma coisa “deu errado”. Fazer o quê? Bebo leito. Tomo chá de camomila. Não consigo engrenar o enleio do meu destino. Cortaram a luz, comida estragou. Cortaram a água. Devo recomeçar do nada, de repente. Fez-se do amigo próximo, distante. Fez-se da vida essa aventura errante. E aqui estou com dor de cabeça, perto e distante. A mulher e sua voracidade só causam destruição. È claro que delego em causa própria. Até nossas mães o são. Essa minas gerais é uma baranguice. Eu e o Paulinelli chegamos à conclusão que esse pais “não tem jeito”. Muito grande. Realidades muito distantes, física e etimologicamente. Um Brazil bizarro. A postura, sim, eu esperava essa postura de criar uma postura. Não vejo possibilidades de mudar. Quanto ao país, sejamos brasileiros, por algum motivo inexpressável. A cerveja, a língua, a facilidade e a comodidade de pensar livremente em brasileiro, em “minerês”.

Nenhum comentário: