quinta-feira, novembro 04, 2010



São pincelas rápidas. Palavra de brisa, de vento. Vento de chuva, conto de fadas. Tempo de pensar lúdico e ser simples – um hábito infantil. E ser aqueles olhos de criança amada que enxerga a Vida sobre o manto azul das parábolas e adivinhações. Hoje concluí que nada está “certo”. Nada está previamente marcado na distância que percorremos. A vida é um enigma. Pois sim. Vida.


Nenhum comentário: