quinta-feira, janeiro 20, 2011



Diante de Deus somos igualmente idiotas, igualmente sábios.

O tolo olha pro dedo, o sábio olha pra Lua. É preciso ser vidente.
Fulana diz:
Você eh vidente?
Gustavo diz:
Sou

Gustavo diz:
eh preciso ser vidente para intuir as relações cibernéticas.
Fulana diz:
E as outras coisas da vida?

Gustavo diz:
Sabe, nunca sei quando uma relação vai dar certo. Não avalio, calculo, planejo. Sou poeta. Mergulho fundo em meus instintos. Não consigo utilizar esse traquejo tradicionalmente feminino.

(Pausa dramática)

Gustavo diz:
eu falo por mim.
Gustavo diz:
naum digo que todos os homens são como eu.
Gustavo diz:
muitos planejam calculam e avaliam, até as mais sublimes futilidades.

Fulana diz:
Faz o seguinte
Fulana diz:
vai pra essa festa, vai ter um monte de gatinhas bêbadas lá, com peitinho, você leva uma delas pra casa e trepa.
Gustavo diz:
vc eh taum dinâmica. Eu não ligo pra peitinho.
Fulana diz:
ah, isso é bom.

...

(a minha intuição é que ela não tem peitinho)

Nenhum comentário: