domingo, janeiro 16, 2011

Perdi minha identidade já faz algum tempo. Não tenho tempo de procurar. Acho que foi em algum buraco, algum bueiro. Talvez em alguma gaveta do inconsciente. Preciso me ver de perto. A luz do firmamento, as estrelas. Dormir embaixo da pedra, ouvir os ventos de inverno. Passar o dia a peregrinar sozinho. Desintoxicar-me dos ares viciados da cidade. Ver outras cores, outros cenas. Desintoxicar-me desse bar, desse bairro, das novelas da vida urbana e de você. Escapulir das conversas sem sentido, dos meios de comunicação, da sensação estúpida de me sentir um rosto branco no papel. Como se apaga branca em muro branco.

2 comentários:

Papagaio Mudo disse...

Na verdade, estes são textos antigos revisados, revividos e rememorados para serem publicados e exortados do meu passado - revestido dessas palavras adjacentes, pré-natalinas.
Eu já refiz todos os meus documentos.

Liberté disse...

Isso é bom; tenho lido e achado bom.
ao dispor for anu help!