terça-feira, janeiro 25, 2011

noções de literatura

Por onde passa meu desejo? A literatura é um assunto privado de ninguém. Um devir infantil meramente pessoal de nossos pequenos assuntos. Não passa de um arquivamento desprovido de subjetivismo. Ai minha dor... escrevemos. Todo escritor sabe disso. Daí, dias de furiosa criação proferindo palavras e mais palavras. A literatura não passa de um arquivamento pessoal do tempo que constrói multiplicidade de ilusões. Criando afetos, sensações, sabores. Tessituras pulsantes, tácteis. Ilusões de paisagem. Minha ressalva de que as questões morais e a paisagem podem ser transmutadas em cruel despejo de brilhantes construções para execrar sensações novelísticas em ruminação de Nadas objetivos. A construção de um agenciamento sempre trata de um coletivo. Essa não é uma questão semântica. Sim, todos esses fenômenos do desejo, “são” o desejo.

2 comentários:

Lara Amaral disse...

rs, boa!

Beijo!

Nat. disse...

ela cria afetos e motivos para nos desesperar. ou melhor, ela traduz desesperos que, colocados em letras, nos dá novos motivos.

eu não apaguei seu comentário. e não tenho moderação... so...
http://tamasauskas.blogspot.com/2010/12/te-quero-todo-poesia.html