sábado, fevereiro 26, 2011

criptogramas

Escrever é como colocar na página o diálogo interno. Obedeço a regras gramaticais assim como obedeço à nova regra de conduta dos meus pensamentos. Código interno. O que nos mantêm no chão. Quis “voar”, mas não consegui. A Natureza não dá saltos, princípio hermético. Hoje percebo que minha mente quis desvencilhar-se do corpo de matéria densa. Deus, Mundo, Alma são as três ilusões de transcendência e a cabeça de boi que reverbera Eu Eu Eu. O riacho pouco profundo das cotidianas realidades e a grande roda dos esquemas. De repente, a .............. cala minha voz, oblitera minha visão, tampa meus ouvidos.

.

.


Nenhum comentário: