domingo, fevereiro 13, 2011

....A morte, a gente comemora.
No meu peito, cai a Roma,
....que, caída embora,
nenhum bárbaro doma.
..
.
....As romas que assim tivermos
e os esplendores da pessoa,
....a impropriedade dos termos,
a quem doer, doa.

Nenhum comentário: