sábado, março 19, 2011

Allen Ginsberg, Jack Keroac and Gregory Corso

Alô
...
É desastroso ser um cervo ferido.
Eu estou muito ferido, os lobos rondam
e tenho meus fracassos também.
Minha carne ficou presa no Gancho Inevitável!
Quando criança vi todas as coisas nas quais não queria me
transformar.
Serei a pessoa que não desejava ser?
Aquela pessoa que-fala-sozinha?
Aquele de quem os vizinhos caçoam?
Serei eu aquele que, nos degraus do museu, dorme de lado?
Estarei usando a roupa do cara que falhou?

Sou um sujeito lunático?
Na grande serenata das coisas,
serei a passagem mais cancelada?

....Gregory Corso

(Lady Vestal e Gasolina – Poesia Urbana)

...

Gregory Corso nasceu em 1930, no Greenwich Village, em Nova York. Filho de uma família paupérrima, passou a infância em orfanatos e reformatórios e mais tarde foi adotado por várias famílias alternadamente. Não escreveu uma autobiografia, mas revisitou a casa natal:
...

"Permaneço parado na luz escura da rua escura
De sobretudo e cigarro no canto da boca
Chapéu sobre os olhos, um berrona mão
Cruzo a rua e entro no prédio,
As latas de lixo continuam cheirando mal (...)"

...

Em 1958, Jack Kerouac escreveu: "Considero Gregory Corso e Allen Ginsberg os dois melhores poetas da América. Corso é um garotodurão nascido no Lower East Side que cresceu como um anjo acima dos telhados e canta canções italianas tão lindas qanto Caruso ou Sinatra, só que com palavras de sua alma renascentista." Seymour Krim, que o considera "imprevisível e inclassificável", escreveu: "Contraditório em tudo, Corso reúne um inacreditável refinamento verbal e um talento excepcional ao encanto endiabrado de um moleque de rua." Atualmente, continua sem residência fixa, sem CPF, sem grana e sem destino. Perambula pelos EUA em companhia do filho Max Orfeo.

Um comentário:

DANIELA BORALI ॐ disse...

Impecável!!!!