quarta-feira, março 16, 2011

a poesia ganha sexualidade



Bawdy Can Be Sane
D.H. Lawrence

Bawdy can be sane and wholesome,
in fact a little bawdy is necessary in every life
to keep it sane and wholesome.

And a little whoring can be sane and wholesome.
In fact a little whoring is necessary in every life
to keep it sane and wholesome.

Even sodomy can be sane and wholesome
grandet there is an exchange of genuine feeling.

But get any of them on the brain, and they become pernicious:
bawdy on the brain becomes obscenity, vicious.
Whoring on the brain becomes really syphilitic
and sodomy on the brain becomes a mission,
all the lot of them, vice, missions, etc., insanely unhealthy.

In the same way, chastity in its hour is sweet and wholesome.
But chastity on the brain is a vice, a pervesion.
And rigid suppression of all bawdy, whoring or other such commerce
is a straight way to raving insanity.
The fifth generation of puritans, when it isn’t obscenely profligate,
is idiot.
So you’ve got to choose


A Indecência Pode Ser Saudável

A indecência pode ser normal, saudável;
na verdade, um pouco de indecência é necessário em toda vida
para a manter normal, saudável.

E um pouco de putaria pode ser normal, saudável.
Na verdade, um pouco de putaria é necessário em toda vida
para a manter normal, saudável.

Mesmo a sodomia pode ser normal, saudável,
desde que haja troca de sentimento verdadeiro.

Mas se alguma delas for para o cérebro, aí se torna perniciosa:
a indecência no cérebro se torna obscena, viciosa,
a putaria no cérebro se torna sifilítica
e a sodomia no cérebro se torna uma missão,
tudo, vício, missão, insanamente mórbido.

Do mesmo modo, a castidade na hora própria é normal e bonita.
Mas a castidade mo cérebro é vício, perversão.
E a rígida supressão de toda e qualquer indecência, putaria e relações assim
leva direto a furiosa insanidade.
E a quinta geração de puritanos, se não for obscenamente depravada,
é idiota. Por isso, você tem de escolher.

4 comentários:

Papagaio Mudo disse...

apesar de não ser apreciador da poesia inglesa, o britânico David Herbert Lawrence ficou conhecido por esse poema - quase existecialista,

Self-pity

I never saw a wild thing
sorry for itself.
A small bird will drop frozen dead from a bough
without ever having felt sorry for itself.


Auto-piedade

Eu nunca vi uma coisa selvagem
ter pena de si mesma.
Um pequeno pássaro cairá congelado morto de um galho
sem nunca ter sentido pena de si mesmo.

Rohmy disse...

Wonderful words & picture, Dein Blog ist großartig!

Liebe Grüße

R.

Caiocito disse...

poesia é coisa de vagabundo

Papagaio Mudo disse...

Rohmy,

Danke fürs kommen. Komm bald wieder.
Kuss,

Gus