sábado, abril 16, 2011

Preciso capinar os campos da sua ignorância




Uma festinha na vizinhança que ouço do banheiro me força a essa vontade que goteja. Na cobertura de um prédio na rua do lado, conversas que atravessam risos que relampejam frases que desafinam silêncios que se confundem música de fundo. Perco-me no parco fim de mim.

Nenhum comentário: