terça-feira, novembro 01, 2011

A estranheza do Tempo já não me causa espanto





A morte do pai do meu amigo talvez tenha me transformado mais do que a ele. Transformado não sei se é apalavra certa... Hoje eu acordei com a sensação de que tudo está certo. Tudo acontece no momento certo, na hora certa, no lugar certo. Certo como? Não sei dizer. Uma força cósmica que alguns tomam por Deus e que alguns poetas dão o nome de esperança. Um brilho nos olhos. Mas um brilho bem lá no fundo, opaco, quase se apagando, torna a iluminar, torna a dar sentido, rumo, direcionamento. Sei lá. As coisas são como são, mas de uma maneira estranha. Nada se sabe, nada de pode ver antes que aconteça. De fato, somos o passado de um presente quântico. É mesmo? Y hasta cuando, compañero Che Guevara?

Nenhum comentário: