sábado, novembro 12, 2011

Há um beber e um dar sem conta





E dando os trâmites por findos
Há a perspectiva do domingo



Datado, mas tão atual. Porque hoje é sábado.
Meu irmão acha Vinícius deprimente, mas eu odeio meu irmão.
Quando era poeta-de-café, recitava O Dia da Criação, aos sábados, para as caras mais impassíveis e sorridentes. E a Travessa, cheia de gente alegre que comprou meu pocket book, 4:44


Foi ótimo! Estupendo.


Nenhum comentário: