quarta-feira, fevereiro 01, 2012

da madrugada





A ética vai além desse ser ou não ser. Esse estúpido querer. Conhecer assim a si mesmo, meio perfeccionista, não é?, e é. Por isso são tão bons, tão maus. Paguei caro por isso, ninguém sabe, mas eu só quero a minha guitarra de volta. Fazer meus uivos da madrugada. Ser o lobo que ronda a noite, sagaz. Foi quando eu fugi. Esqueci de tudo e me perdi e desapareci. E as distorções me foram tantas que os dedos da mão foram desnecessários. Somos animais autobiográficos que só damos conta disso depois de conhecer esse lugar indizível.

2 comentários:

Adriana Godoy disse...

Aguardo. Gostei demais desse texto de hoje. Beijo

Papagaio Mudo disse...

Isso é quase um diário. Aguarde o próximo texto.
Beijo,

Gus