quinta-feira, novembro 01, 2012

meu coração palpita com esse olhar, invisível e imortal para os navgadores



Refazimento
Etapa 2
Então, mais ou menos um ano depois, depois de tomada muita última dose, entre ossos e pedaços de carne, depois de três dias na cama, dormindo na escuridão mais profunda, eu me levanto e por força de alguma coisa inominável, mesmo hipocritamente, devo acreditar que a vida vale o esforço. Sentença essa particular ao dom de cada um.
Então, aqui novamente. É verdade que os machos não abandonam a fêmea. É que ele torna-se inútil e sem perspectiva de nada. E elas fogem...
Então, depois de ano, força da palavra, requer de mim certo esforço para escrever (minha mão quis dizer esquecer) e estar sentado diante dessa folha plana.
A frustração-do-desejo é sensação e agenciamento de todo malogro fenomenológico pregresso.
Não é lembrança, pois é tátil agenciamento do fenômeno – que é por si só, um grupo de coisas – que reincide e culmina em mais um último fenômeno. Hegel parecia estar certo...
Um ano depois não quero mais retroceder. O calor está insuportável e alguma coisa me dizer sem dizer querendo que eu sinta, a fraqueza do meu corpo, a vontade de morrer, a impulsividade, a dor nas articulações do calcanhar, esforço ao levantar as pálpebras. A hipótese do que vejo não ser real.

2 comentários:

Caiocito disse...

Sublime. denso e complexo e pesado e polifônico seu texto, mANU.

Que beat lady que lead beat
da letra elite do ÁPICE DO eclipce

bEIJO
HERALDICA AMIGA

caio

Caiocito disse...

saiu o uivo