domingo, janeiro 27, 2013

Feliz Alento



Como vai, meu amor?
não sei, podes tu?
mudar à vontade
a convicção?
Alheio aos porres de
bigorna
Assim se formam as
formas vivas
em que a matéria cobrou
em demasia
um pouco do meu estado
poético

Um comentário:

Raquel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.