domingo, maio 19, 2013

Carta endereçada a Deus


Digníssimo senhor Deus,



Essa hora eu já devia estar dormindo, mas detesto usar o pretérito quase prefeito.
Tenho andado muito triste.
Era... Deveria. Quanto mais o imperfeito.
Penso que se nascemos à sua imagem e semelhança, a imperfeição é um ato falho. Tanto da língua quanto das más atitudes. que dirá dos hábitos nefastos.  A minha opinião e que estamos fadados a passar por esses maus bocados mesmo que os procuremos com as mãos. Não deveríamos, porém já estou a usar uma imperfeição do advindo.
Escrevo essa carta em busca de algum consolo para minha alma e alivio para meu corpo. A essa hora tenho medo de faz ruídos com as teclas do teclado e meus pais pensarem que eu não me encaixo no tempo determinado pela sociedade atual desenvolvida e pós revolução industrial os ingleses colocaram na gente a tiranizadas oras determinando horários.
Penso que os artistas renascentistas comiam na hora que bem queriam e dormiam também, com o perdão da expressão, ao Deus dará. O homem nesse período passou a ser o centro das atenções. E sob certo aspecto lutavam contra a vossa imagem, que figura como tirano e malvado. Sendo representado na terra por um rei que diziam trazer em um pedaço da essência  celestial, sobrenatural e que detinha poderes supra-humanos que nos aterrorizava a nos obres citados.
 A inquietude dos artistas que nunca se contentam com os bons hábitos como manda a razão vigente, seja qual for a época, nos livrou desse pensamento trazendo a tona uma sociedade mais compassiva e depondo guilhotinando reis, e desprezando o poder da temida igreja católica.
Tempos depois um alemão chamado Lutero nos beneficiou ainda mais. Visto que citando somente um exemplo, se não houvesse sido feita a reforma protestante o poeta inglês e xamanista William Blake teria sido queimado pelo santo ofício da sagrada inquisição. Mas o senhor sabe de tudo isso, claro.
Muito mais do que eu e com riqueza de detalhes...
O que eu queria mesmo dizer dado esse enrolado preâmbulo é que eu próprio ando desgastado
Os próprios do homem quais seriam?
Sofrer me fez mais forte e talvez um pouco mais determinado, mas venho através essa pedir uma ajudinha. no que se refere ao animo. Ao acordar todo dia.
Queria que senhor que contasse em sonho que seja, contanto eu me lembre, qual é o sentido da vida. Porque devemos viver? Porque devemos viver entre pessoas que na nos proporcionam nada?
Estive nas montanhas por muitas encarnações como diz vinha mãe. E tenho saudades da vida na sua presença, a natureza. Spinoza cujos pais se chamava Manoel teve que sair menino de Portugal posto que o rei da Espanha queria se casar com uma princesinha tuga e não queria nenhum cristão novo em seu reinado. Fugiram de volta para a Holanda e se reconverteram ao judaísmo visto que era encrencado ser católico em solo reformado. Benedictus descreve o senhor como sendo a natureza. Acredito piamente que a natureza que também somos nós amadureceremos no temo por Ti determinado. Espero que seja rápido. Mas como a maça de Newton não osso prever nem lutar contra o acaso. Farei da minha parte, serei bonzinho. E espero não ser o que Camus, um argelino safado, chamou de Sísifu. , lutando inutilmente para remontar morra acima a pedra que sempre rola morro abaixo.
Agradeço (a sua preciosa atenção, e digo que é do fundo do meu coração o qual evito dar adjetivos) que endereço a Ti, poder maior do cosmo essas mal cunhadas palavras.

Acredito na sua bondade extrema independente o desenrolar fatos.
Do humilde rapaz que no momento encontra-se desencontrado,

Gustavos

Nenhum comentário: