sexta-feira, julho 05, 2013

Finca Focus


Estou aqui de novo, mesmo que de novo haja muito pouco. Não tenho tido muito a dizer ao mesmo tempo em que tenho tudo. Tudo guardado dentro de mim, que parecia estar latejando. Como um verso que quero escrever,

derramo lágrimas de cinzas
finalmente 
tenho as mãos sujas de fogo

Todo o resto é abuso no branco liso da página. Um verso cai feito meteoro. rasga o céu quanto estrela. O dedilhado ruidoso-som-oriza. O vento frio-gelado. a madrugada-brisa. Todo ser é santo, saúdo os meus com madrigal tepubio. Nas paredes, acalanto. Todo nada tem seu inverso, onde perdido, me acaçapo canto. Ars nova est. predulio artaudiano...

ratatatrara
digigigi dagum xam xam
ratatata nemem
brocaribuntabam
frotaricaridunca
rararra rica funtaba
bratati bum balá

racum!

Um comentário:

Adriana Godoy disse...

de novo estou aqui e gosto do que leio, ainda que de vez em quando me pego pensando: será que entendi? será que preciso sempre entender?
bisous