quinta-feira, agosto 01, 2013

Meu Almoço nu


5/5/2013


Belo Horizonte 05 de maio de 2013

Olá ,minha gente! Já nem lembrava que tinha esse caderninho. Volto a querer viver. Volto de um lugar que foge ao entendimento tátil da existência. Volto de uma viagem. Volto de onde fisicamente nunca saí.

14 de maio de 2013

Ainda sigo dentro de mim.


16 de maio de 2013
hoje escrevi mais um texto para Deus. Uma carta. Sempre não digo tudo que quero. Mas sigo seguindo as normas da ABNT.
o dia já vai clarear e talvez essa seja a fase mais difícil da minha vida. É desumano, mano, viver assim. Fumando óleo de bateria de moto. Mas eu vou conseguir, eu vou conseguir. Sinto que sou um traidor de todas as leis orais do planeta. Mas como não ser? Estou refém, estou adicto, estou escravo, estou aqui. Tentando acalmar o desespero dos meus pais, que são aqueles que estão + perto de mim, alem de mim mesmo  e que me amam. Mas o poder desse barbitúrico, Von Bayer, é fuderoso. Mata ou cura. Estou intoxicado. Aqui nesse caderninho posso falar a verdade do quanto tenho sido desagregado. Sinais deixaram de serem meros indicativos. Indícios depõem contra mim e me deflagram. Vale dizer nessa hora do quase desespero (admito que sinto, e, especialmente de dois das pra cá senti medo) que tenho fé extrema na bondade divina e que isso, esse poder vai remover a montanha que se alojou dentro de mim. Como de outras vezes. Espero que não seja o fim. Assumo desde já a dolorosa tarefa de reverter esse feitiço que recaiu sobre mim. Meus olhos testemunham meus dedos em forma de cera. Meu corpo não é um boneco vivo noite-dia. O céu é a maravilha do cosmo a que temos direito, e o ócio é aquele que frutifica a criação dos tempos remotos em que observamos estrelas...


Nenhum comentário: