sexta-feira, setembro 20, 2013

cats



O homem diante do relógio enxerga a eternidade. Horas anestesiadas, Eus perdidos, vôos sem rota, rotações da Terra. Giro sem vértice, fases da lua, horas de leitura.
Sou águia, sou Ícaro.
Cala voz interior, cala!
O que dizes não consegue suster, absorver, chupar.

És boa ou má?

Nenhum comentário: