domingo, outubro 06, 2013

Che arrivare

Che arrivare




Volto às coisas do cotidiano, inclusive às fúteis. Absolutamente neutro aos seus relatos, enfim. Perco-me nas palavras duplas, perco-me na sua artilharia. Não sei me acobertar. Uma sorrateira pilha de nada, nada vai me atingirá. A sua pura mudez e nossa nudez a brincar sozinhos. Somos ilhas desertificadas, em nossas troças de muitas doses. O bel-prazer do coice acavalado. Cuidado com a malandanza. Cuidado com as noites que chegarão de repente. 

Nenhum comentário: