segunda-feira, outubro 28, 2013

Curta com Novais

Há pouco menos de um mês eu fazia a minha ronda randômica pelo espaço cibernético quando ao puxar assunto com um velho amigo, Léo Pyrata, me veio a cabo através dele que um membro da equipe de diretores do Estado de Sítio, André Novais, estava em Estocolmo representando seu filme pouco mais de um mês.
Pouco Mais de Um Mês recebeu em Cannes, um dos mais proeminentes festivais do cinema mundial, a Menção Honrosa de melhor filme estrangeiro na categoria curta-metragem. E, em virtude disso, lá estava André Novais de Oliveira, residente de Contagem, a representar seu filme “Pouco mais de um mês” convivendo com outros diretores do mundo inteiro.

o meu papo com o Léo Pyrata, minha fonte, foi mais ou menos assim...
Leo Pyrata
Acho que o pouco mais de um mês foi feito com 7d.

Gustavo Perez

A produção é grande?


Léo Pyrata

Ele fez um longa recentemente com os pais dele atuando
usando uma red.


Sim...
Ele é um dos cineastas mais interessantes do cinema brasileiro atualmente
Seria o máximo
Adiciona ele e manda uma mensagem que ele é superbacana.
Você pode me ajudar, Léo?
sim eu dou um toque pra ele.
ótimo
acho que é bom pegar esse timing
valeu pela dica, Léo
vou pegar sim
Ele é um dos diretores do estado de sitio também. Digo isso porque vou gravar meu longa ainda, mais pro final do ano que vem, e to num momento sem muita coisa pra falar e filme meu pra divulgar... e o André tá num momento foda com esse curta novo dele.
Claro, direto de Estocolmo seria ótimo.  
E esse longa já filmado que provavelmente sai antes deu filmar o meu ganhou menção honrosa em Cannes.
Como chama?
Tá na pagina dele, o Pouco mais de um mês, que ele filmou e atuou junto com a namorada.
como faz pra eu ter acesso a mais coisas dele?
tem esse curta dele sensacional também que passou num monte de lugar,
Fantasmas (Ghosts) (Dir: André Novais Oliveira, 11min, 2010, MG, Brasil)-English Subtitles
www.youtube.com
www.filmesdeplastico.com.br/
www.facebook.com/filmesdeplastico
ele tem entrado noface?
Sim, ele entra muito
TRAILER POUCO MAIS DE UM MÊS - FILMES DE PLÁSTICO - 2013
vimeo.com
E os horários você sabe, Léo?
Durante o dia e de noite também. Ele tava online mais cedo...
e lá vou eu procurar o André. Sem saber que horas são em Estocolmo. Na verdade, sem saber, de fato como se escreve e onde fica. Se é Estolcomo ou Estocolmo? 



foto divulgação

Parte dessa entrevista foi realizada quando o diretor André Novais encontrava-se em Estocolmo  E eu não podia deixar de perguntar a respeito das bebidinhas locais. depois peguei o embalo da premiação da


Janela Internacional de Cinema do Recife

Confira nossa conversa:


Gustavo Perez
Eu assisti seu filme na internet. Desculpa pensar que Estocolmo fica na Noruega. Eu que me perco nesses países nórdicos... mas diga, você está em Estocolmo por conta do Pouco mais de um mês e filme está sendo exibido no festival. Como você buscou as locações para filmar o seu filme?


“grande parte das pessoas de fora espera por filmes que falem da violência nas favelas”


AN
...tranquilo... eu fiquei sabendo que Estocolmo era aqui só depois que compraram as passagens. As locações dos filmes geralmente são perto da minha casa, no caso do fantasmas foi isso. No caso do Pouco mais de um mês foi na casa da minha namorada
A exibição no youtube. E você assistiu na internet? Pô, que massa, cara.

GP
assistente de direção?

AN
No estado de sítio eu dirigi com ele e mais seis caras. 
No Fantasmas houve diretor de fotografia, diretor de produção, assistentes de produção e eu dirigi, escrevi e captei o som.

GP
Como funciona essa maquinaria? Você filmou com qual câmera?

AN
Filmamos com a hv30.

GP
Quanto à captação do áudio e adequação técnica?

AN
A captação foi com um microfone ligado direto na câmera. A filmes de plástico não tem atores. A gente atua nos filmes, mas não somos atores profissionais... A Filmes de Plástico é composta de três diretores e um produtor.
GP
Ele que foi pra Cannes, o Pouco mais de um mês?
AN
Não... O filme que foi pra Cannes foi o último que eu dirigi. Chama Pouco mais de um mês.

GP
"Pouco mais de um mês". Faz pouco mais de um mês que você divulgou? Tem cerveja aí?

AN
O filme chama pouco mais de um mês. Tem muita cerveja diferente aqui, muita cerveja artesanal.

GP
André, o cinema brasileiro parece ser um dos mais interessantes do mundo.
Hoje, a produção de filmes e diversidade de temas, maneiras de abordagem, entre documentário, híbridos e ficcionais, marca presença em festivais proeminentes como aconteceu com Pouco Mais de Um Mês em Cannes. Como você avalia a recepção dos filmes brasileiros no exterior para plateias que não conhecem o Brasil? Como eles percebem o Brasil?

Os filmes brasileiros tem uma boa participação nos festivais internacionais. A diversidade de filmes do Brasil no exterior é muito grande, diversidade de temas, estilos, localizações geográficas etc.

AM
Dá pra perceber que grande parte das pessoas de fora espera por filmes que falem da violência nas favelas, da pobreza, muito em decorrência de filmes que conseguiram chegar ao circuito comercial e que tiveram grande sucesso por lá, como, por exemplo, Tropa de Elite e Cidade de Deus.
Mas também existe um grande respeito pelo cinema brasileiro enquanto produção de ótimos filmes, independente de seu tema e estilo.

GP
Você, com sua grande criatividade mostrou que é viável unir qualidade e imaginação aos filmes que são produzidos no Brasil, com baixo custo de manufatura dos processos necessários ao cinema, captação de som, como você me disse, passando pela ilha de edição, até chegarem à divulgação e atingirem o público. Você acha que esse caminho está mais curto nos dias atuais? O que você me diz disso?

AM
Os novos recursos digitais ajudam no processo da produção. Novas câmeras, em sua maioria, mais baratas, captadores de áudio, ilhas de edição etc. Mas o caminho é ainda difícil. Precisamos de mais financiamento para produzir. A produção de curtas cresceu muito no Brasil nos últimos anos, e há uma dificuldade de se conseguir espaço nos festivais.
Algo que ajudou muito no processo e encurtou a distância dos filmes com o público é a internet. A facilidade de se colocar um filme no vimeo ou youtube ajuda muito.
Fora as redes sociais que podem ajudar a divulgar o trabalho.


Nenhum comentário: