segunda-feira, janeiro 27, 2014

eu mesmo e eu para Cris Siqueira

com amor 

                                                                    Gustav

3 comentários:

cristinasiqueira disse...

Vem meu amor para o deleite da vida nua, mergulha na incisão crua da profunda natureza, banhe-se em divindade ,quieto ,dono da maciez que o acaricia entre as coxas húmidas de fogo vivo e ardente com que me faço sua neste instante .
Sagrado pulso da vida onde nasce a esperança.Entre meus veludos você é o que quiser ser, o rei em sedas, o herói esperado ,a lenda, o brasão nos traços do prazer , seu dom de forte.
Quero viver este pré –amor ,esta véspera da festa, este rebuliço de desejo, o bom gosto de me preparar para o encontro no ânimo de seu jeito claro de estar a fim. São sensações que me iluminam de paixão num sentimento que me ultrapassa, maior do que eu mesma. Sou teu verso ,palavra e substância poesia da ternura , regozijo de teu íntimo desperto .Sou musa ,deusa, guardiã do efêmero perfume de nossas carnes a se buscar para se tornarem sublimes ,apascentadas ,ricas em divindade.

cristinasiqueira disse...

Vem meu amor para o deleite da vida nua, mergulha na incisão crua da profunda natureza, banhe-se em divindade ,quieto ,dono da maciez que o acaricia entre as coxas húmidas de fogo vivo e ardente com que me faço sua neste instante .
Sagrado pulso da vida onde nasce a esperança.Entre meus veludos você é o que quiser ser, o rei em sedas, o herói esperado ,a lenda, o brasão nos traços do prazer , seu dom de forte.
Quero viver este pré –amor ,esta véspera da festa, este rebuliço de desejo, o bom gosto de me preparar para o encontro no ânimo de seu jeito claro de estar a fim. São sensações que me iluminam de paixão num sentimento que me ultrapassa, maior do que eu mesma. Sou teu verso ,palavra e substância poesia da ternura , regozijo de teu íntimo desperto .Sou musa ,deusa, guardiã do efêmero perfume de nossas carnes a se buscar para se tornarem sublimes ,apascentadas ,ricas em divindade.

cristinasiqueira disse...

Vem meu amor para o deleite da vida nua, mergulha na incisão crua da profunda natureza, banhe-se em divindade ,quieto ,dono da maciez que o acaricia entre as coxas húmidas de fogo vivo e ardente com que me faço sua neste instante .
Sagrado pulso da vida onde nasce a esperança.Entre meus veludos você é o que quiser ser, o rei em sedas, o herói esperado ,a lenda, o brasão nos traços do prazer , seu dom de forte.
Quero viver este pré –amor ,esta véspera da festa, este rebuliço de desejo, o bom gosto de me preparar para o encontro no ânimo de seu jeito claro de estar a fim. São sensações que me iluminam de paixão num sentimento que me ultrapassa, maior do que eu mesma. Sou teu verso ,palavra e substância poesia da ternura , regozijo de teu íntimo desperto .Sou musa ,deusa, guardiã do efêmero perfume de nossas carnes a se buscar para se tornarem sublimes ,apascentadas ,ricas em divindade.