quinta-feira, abril 24, 2014

blues

Riverside 





Enfim, não há mais nada que a ser dito. Enfim sós, eu e a madrugada, diante do universo infinito. Minha barba cresceu, esqueci de dizer. Ser é mais importante. Se pensas que minto, veja. Abra as portas da percepção. Sinta que não sou. Não serei nem foi em vão, tudo que passei. Tudo que vivi e o Todo que vi de maneira concreta. Embora seja somente minha essa abstração. Sem compartilhamento. Diante de todo vislumbrei o infinito. Atravessei o deserto de afetuosidade e o deserto atravessou a mim mesmo. Toda tristeza profunda, indignação. Toda aflição, ranger de dentes, passos que se perderam. Nem todo rio encontra o mar, encontra a discurso do sentimento. Há rios que secam no caminho. Correr não compensa. 

Nenhum comentário: