segunda-feira, junho 16, 2014



















O mundo em câmara lenta. Um bando de babacas seminus pulando e gesticulando como macacos. A fase é boa. É como arrancar dente sem anestesia. Eles dançam samba? Eles torcem como macacos. Retorcem seminus seus corpos alegres, suados, vibrando. Uma cidade em sua pele broca como uma doença. Esfumaça a cor de seus corpos. É Copa? É copo? É capo? É corpo. Nu nesse deserto. Faminto de horizontes. Em câmara lenta o mundo caminha para trás. E tudo, horizonte, cidade, gente se contorcendo em estádios seminus se esfuma no fundo do olhar e diz-se miragem.


Cláudio Rodrigues

Nenhum comentário: