segunda-feira, junho 02, 2014

Pedro rima

tempos niilistas estes dentre tantas listas não constar em lista alguma quadraturas dos astros ainda demarcam movimentos possíveis em círculos. pi infinito. sentidos finitos finitude da compreensão palavras ditas ordinárias também transcendem matemáticas tempos criativos estes dentre tanto nada vaga-se, constata-se lumes e fluxos alguém defronte uma janela qualquer lateralidade é paisagem qualquer paisagem é território e meu território é uma nuvem. nômade como tu, andarilho dos signos adágio de um allegro ma non treppo ma no troppo trôpego, trôpega construção. a impressão que temos pra hoje é ponto.

P.L.


2 comentários:

Cláudio Rodrigues disse...

É um belo poema.

Cláudio Rodrigues disse...

E uma publicação impecável.